Bolinhos de Jerimu: o melhor guarda-se para o final

Abóbora para muitos, jerimu para os amigos, estes bolinhos acabam em beleza a série de post’s, aqui no Coffee & Dessert, sobre os doces de Natal presentes na mesa da família L.

As quantidades continuam a ser “a olho” sendo que, neste caso, dependem do tamanho da abóbora e da quantidade de massa que conseguimos obter.

Coze-se um dia antes, uma abóbora de tamanho médio e coloca-se a massa obtida num saco do pão. Espreme-se bem para sair a água na totalidade. Quando a abóbora estiver bem espremida adicionam-se 2 a 3 ovos, 1 colher e meia de chá de fermento, uma pitada de sal fino, 2 a 4 colheres de sopa de açúcar, 2 a 3 colheres de sopa de farinha (para ligar a massa) e uma chávena almoçadeira de nozes picadas em pedaços nem muito pequenos, nem muito grandes. A massa é mexida sempre à mão, à medida que se adicionam os ingredientes, de forma a sentir se ela está no ponto. A massa tem que ficar consistente mas não muito dura.

Pega-se em duas colheres de sobremesa, coloca-se um pouco de massa no meio e molda-se a massa em bolinhos pequenos e achatadas, passando a colher uma por cima da outra. Fritam-se os bolinhos e polvilham-se com uma mistura de açúcar e canela. Divinos!!

Por este ano é tudo… bolinhos de jerimu só para o ano.